Apoio emocional autônomo e saúde mental pré-figurativa: Alguns materiais para ativistas

No contexto atual, de pandemia e escalada brutal do fascismo, torna-se transparente o caráter biopolítico dos afetos. Muitas vezes, a luta libertária produz uma carga emocional sobre aqueles que se engajam nela, de maneira que eventualmente nossa revolta se transvalora em afetos tristes e ressentimento. Criar uma cultura do cuidado entre anarquistas e aliades é fundamental para evitar isso, para criar condições para o apoio mútuo, para pensar uma saúde mental pré-figurativa, e para desmantelar divisões tradicionais entre trabalho ativista e trabalho afetivo.

Pensando nisso, traduzimos alguns materiais que podem ajudar singularidades ou pessoas que estejam engajadas em grupos de afinidade a desacelerar e lidar com situações estressantes. Esses materiais foram traduzidos e adaptados de diferentes fontes, e podem ser compartilhados livremente.

O primeiro desses materiais é o zine “Estratégias para o apoio emocional autônomo”, adaptado de um material do coletivo Power Makes Us Sick:

Power Makes us Sick (PMS) é um projeto de pesquisa criativa com foco em práticas e redes de saúde autônomas a partir de uma perspectiva feminista. PMS busca entender as formas como nossa saúde mental, física e social é impactada por desequilíbrios e abusos de poder. Entendemos que a mobilidade, forçada ou não, é um aspecto cada vez mais comum da vida no antropoceno. Nesta busca por uma solidariedade sem lugar, começamos com a saúde. A PMS é motivada a desenvolver ferramentas de solidariedade, resistência e sabotagem livres que são informadas por uma profunda preocupação com o bem-estar planetário.

“Estratégias para o apoio emocional autônomo” (PDF para impressão) | (PDF para leitura [em breve]).

 

O segundo desses materiais é um conjunto de imagens, otimizadas para compartilhamento através de mensageiros eletrônicos (WhatsApp, Signal, Telegram…), com dicas para o cuidado de si e de comparsas após ação direta ou manifestações.